200. Universo

Com grande prazer, dedicação e orgulho, chegamos ao texto 200. Nossa ideia é montar uma grande enciclopédia virtual na área de humanas, gratuita, e isso já está em estágio avançado de edificação. Obrigado a todos que acessam e disseminam nosso conteúdo.

O texto de hoje aborda termos muito conhecidos por todos, mas nem sempre bem compreendidos. Vamos começar pelo que existe de maior, e ir reduzindo até chegarmos ao nosso planeta.

Universo

É complexo conceituar, mas podemos dizer que é tudo o que conhecemos. É formado por galáxias, estrelas, planetas, asteroides e uma infinidade de outros componentes. Dentro dessa linha de raciocínio, vários astrônomos contribuíram para um maior conhecimento nessa área.

Hubble e a Expansão do Universo

Edwin Hubble nasceu em 1889 no Missouri,  EUA. Em 1923 ele revolucionou a astronomia ao descobrir que a Via Láctea é apenas uma das inúmeras galáxias existentes no Universo. Outra grande  contribuição veio em 1929, quando Hubble anunciou que, além de serem várias, as galáxias estão se afastando entre si, consequentemente, o Universo está em constante expansão.

Edwin Powell Hubble foi um astrônomo norte-americano. Suas grandes contribuições foram a descoberta que as chamadas nebulosas eram na verdade galáxias fora da Via Láctea, e que estas afastam-se umas das outras. Imagem: Internet.

.

O astrônomo conseguiu essa façanha analisando o desvio da luz para o azul (aproximação) ou para o vermelho (afastamento). Esse é o famoso efeito Doppler.

CLIQUE PARA ACIONAR O GIF.  As galáxias que se aproximam da Terra têm um desvio na luz para o azul. As que se distanciam para o vermelho. Hubble percebeu que a maioria esmagadora das galáxias se distanciam da nossa. No entanto, a mais próxima, Andrômeda, se aproxima. Imagem: Internet.

.

Em 1990 foi lançado ao espaço o telescópio Hubble, em órbita até os dias de hoje. O nome é uma homenagem ao cientista por suas contribuições a astronomia. Morto em 1953, ele nada teve a ver com o desenvolvimento do sofisticado equipamento construído pela NASA.

Telescópio espacial Hubble, considerado umas das mais importantes ferramentas da astronomia. Imagem: Internet.

.

Lemaitre e o Big Bang

Big Bang é a teoria mais aceita para o início do Universo. Ela foi elaborada pelo  belga George Lemaitre (1894-1966). O interessante é que ele era um padre jesuíta e ao mesmo tempo um astrônomo, mostrando que ciência e fé podem coexistir. A proposição foi possível graças aos estudos anteriores do físico alemão Albert Einstein, a Teoria da Relatividade Geral, além da Teoria de Hubble.

Georges-Henri Édouard Lemaitre , foi um padre belga jesuíta, responsável por  propôr a Teoria do Big Bang, que ele chamava de “hipótese do átomo primordial“. Imagem: Internet.

.

Se pensarmos um pouco, já que Universo atualmente está em expansão, se fizermos o processo inverso, chegaremos a um ponto em que estava tudo junto. Foi essa a linha de raciocínio trilhada para se chegar à conclusão de que tudo se originou de um único ponto de energia, a partícula primordial.

A partir dessa semente cósmica ocorreu uma enorme explosão, daí o nome Big Bang, que deu início a tudo que conhecemos. Big é uma palavra largamente conhecida, significa grande, Bang por sua vez é uma onomatopeia, palavra formada a partir da reprodução aproximada, com os recursos de que a língua dispõe, de um som natural, nesse caso uma explosão. Como os filmes de velho oeste, conhecidos como bang-bang, sons dos tiros.

O GIF nos mostra uma reprodução, bem simplificada, da explosão que deu início ao Universo como conhecemos. Imagem: Internet.

.

Fazendo os cálculos reversos, conseguiram estimar até mesmo a idade desse acontecimento, algo entre 13,3 a 13,9 bilhões de anos atrás. Essa seria, então, a idade do Universo. Não existem muitas explicações sobre o que existia antes do Big Bang, ficando as teorias restritas ao que veio depois. É, há muitos anos, a hipótese mais aceita para o surgimento do Universo.

Uma curiosidade é que Lemaitre deu o nome de “hipótese do átomo primordial” a sua tese. Big Bang foi criado por um opositor a esta proposição, Fred Hoyle, que defendia a Teoria do Estado Estacionário, em que as galáxias não se deslocam. Apesar das negações, especula-se que era uma forma de desmerecer a teoria do padre jesuíta, criando um nome pejorativo para ela.

O Universo é composto por locais  com intensa presença de corpos celestes, as galáxias.

Galáxias

São sistemas espaciais conectados gravitacionalmente. Em uma linguagem popular, é um enorme acúmulo de estrelas, planetas, poeiras, entre outros componentes. Hubble classificou as galáxias em 4 tipos, de acordo com seus formatos:

Segundo Hublle, existem 4 tipos básicos de galáxias. Imagem: Internet.

.

Em um passado recente acreditava-se que existiam cerca de 100 bilhões de galáxias no Universo. Entretanto, nos últimos anos, estudos estão mostrando números bem diferentes. Atualmente os cientistas acreditam em até 2 trilhões de galáxias. Veja uma reportagem sobre este assunto no site da Revista Galileu.

Via Láctea

Uma das inúmeras galáxias é a nossa, chamada de Via Láctea, com seu característico formato em espiral. Para termos ideia do seu colossal tamanho, seu diâmetro é de 100 mil anos luz, ou seja, para atravessarmos ela por completo, precisaríamos viajar 100 mil anos a 300.000 km/s. Em um ano a luz percorre 9.460.800.000.000 Km. São noções completamente fora de nossa percepção aqui na Terra.

Obviamente não existem fotos da Via Lacte, a distância para lançarmos algo para fora dela é completamente impossível para nós. Entretanto, observando outras galáxias e suas características, os cientistas concluíram que ela é uma espiral. Imagem: Internet.

.

Se você quiser saber um pouco mais, como a descoberta do formato da Via Láctea, mesmo sem nunca ter saído dela, confira o site Galeria do Meteorito.

Segundo estimativas existem entre 100 a 400 bilhões de estrelas em nossa galáxia. No “subúrbio” dela, cerca de 30 mil anos luz do núcleo e 20 mil de seu fim, se encontra o  nosso Sol. Este fenomenal corpo celeste e todo o sistema que o rodeia serão tema em nosso próximo texto.

Espero ter aumentado seu conhecimento. Curta nossa página no Facebook e compartilhe nosso texto! Abraço do Clebinho!

Publicado em 15.05.2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *