204. Eras Geológicas (Pré-Cambriano)

Nosso planeta possui algo próximo a 4,6 bilhões de anos. Com o tempo e a ajuda das rochas, principalmente as sedimentares, os geólogos conseguiram decifrar vários acontecimentos do passado da Terra. Com o objetivo de facilitar e organizar todo esse estudo todo esse conhecimento foi dividido  em fases, denominadas Eras Geológicas. “Eras” representam um período de tempo, “Geológicas” pelo fato das rochas serem nossa grande fonte de informação, além do planeta, em seu início, basicamente ser formado por elas.

A primeira grande divisão é o Éon, que agrupa Eras, que por sua vez são subdivididas em períodos. A tabela abaixo nos mostra como ficou:

Tabela com os Éons, Eras e Períodos. Imagem: Internet.

.

IMPORTANTE: Ao longo dos próximos textos as datas finais e iniciais das fases podem sofrer algumas modificações em relação ao quadro. Isso é compreensível, levando-se em consideração que existem períodos de transições entre elas, com autores considerando cada uma um pouco maior ou menor. Não se pode matematizar algo que não conhecemos completamente. Não é como a história humana onde as datas são mais precisas. 

Pré-Cambriano 4,56 bilhões a 542 milhões de anos atrás

Os 3 Éons mais antigos são conhecidos informalmente como Pré-Cambriano, pelo fato de terem ocorrido antes do período Cambriano, o primeiro e mais antigo da Era Paleozoica. Obviamente algo muito importante deve ter ocorrido nessa fase para que ela denomine tudo que vem antes, e é isso que veremos mais à frente.

Apesar de enorme, 87,5% de toda história da Terra, sabemos relativamente pouco sobre os Éons iniciais, em comparação ao mais recente. Isso é algo óbvio, levando-se em consideração que eles são tremendamente antigos. A porção do Pré-Cambriano mais próxima de nós está 540 milhões de anos no passado, dificultando os estudos. Suas 3 fases são:

Hadeano – Início: 4,56 a  3,85 bilhões de anos atrás

Em grego, Hades significa inferno, e não existe nome melhor  para classificar este primeiro momento de nosso planeta. Esta fase vai desde que a Terra ainda era poeira espacial ao redor do Sol, até a formação de nossa crosta primitiva.

Planeta Terra em processo de formação, limpando o Sistema Solar atraindo bilhões de fragmentos para si, aumentando seu tamanho. Imagem: Internet.

.

Neste primeiro momento a Terra era extremamente quente, consequência do processo de acreção, ou seja, crescimento, devido a atração que começamos a impor sobre corpos celestes próximos. Inúmeros corpos celestes foram atraídos pela crescente gravidade do nosso planeta, se chocando com ele, aumentando sua massa.

A superfície era formada por magma, que expeliram os gases que formaram nossa atmosfera primitiva,  composta por enxofre, amônia e metano.

Formação da Lua

Uma das perguntas mais importantes da astronomia é a origem de nosso satélite natural. Atualmente, a teoria mais aceita se chama Big Splash, em alusão a um grande mergulho.

Segundo essa proposição, em algum momento no início do Hadeano, um pequeno planeta, do tamanho de Marte, se chocou com o nosso. Deram a ele o nome de Theia. Esse choque teria se dado a incríveis 40 mil Km/h.

Parte desse corpo celeste foi absorvido pela Terra, formando nosso núcleo ferroso, já que Theia afundou em nossas camadas internas. O que sobrou foi lançado a atmosfera junto a uma parte da superfície da Terra pulverizada pelo impacto.

A partir desse momento, um  círculo de destroços passou a orbitar nosso planeta, assim como hoje vemos nos anéis de Saturno. Esses escombros foram se chocando e formando o que chamamos hoje de Lua.

CLIQUE PARA ATIVAR O GIF. Colisão da Thea com a Terra. Imagem: Internet.

.

Ao final do Hadeano tivemos o início da formação da nossa crosta terrestre, a partir do resfriamento do magma superficial do planeta.

Na transição do Hadeano para o Arqueano tivemos a formação da crosta terrestre. Imagem: Internet.

.

Arqueano  – 3,85 a 2,5 bilhões de anos atrás. 

Arqueo vem do grego arkhaios, que significa algo arcaico, antigo, primitivo.
É a segunda fase do nosso planeta, e a primeira com uma crosta formada, incluindo também a divisão com manto e núcleo, tema em nosso blog com início no texto 114. As rochas mais antigas já encontradas no planeta datam do Arqueano, sendo elas, em sua maioria, magmáticas ou metamórficas. Você pode entender melhor este assunto lendo nosso texto 158.

A vida surgiu nesse Éon, entretanto, se limitou a seres unicelulares, como cianobactérias. Esse fenômeno teve início nos oceanos, que também estavam em fase de formação. Inclusive, o nome antigo dessa fase era Arqueozoico,  do grego arkhaĩos, antigo, e zoikós, relativo a vida animal. Foi mudado para Arqueano pelo fato da vida neste momento ser algo ainda muito simples. Então, o zoico (vida) foi retirado.

A atividade vulcânica foi intensa nesse momento e a atmosfera era primitiva, formada por enxofre e amônia. A partir dos gases expelidos pelo interior da Terra e posterior condensação formou-se nosso primeiro oceano, ainda bem raso. Como a parte interior da Terra ainda estava extremamente quente, as atividades vulcânicas eram enormes.

Representação do como era a Terra no Arqueano. Imagem: Internet.

.

A Lua, citada anteriormente, interferia em nossa rotação, atrasando-a e aumentando nosso dia. Como ela se afasta da Terra, sabemos que estava bem mais próxima nessa fase, influenciando nossas marés de uma forma muito maior que atualmente. Possivelmente, este fato pode ter ajudado na mistura da chamada “sopa primordial”, nome dados aos primeiros oceanos que permitiram o surgimento da vida por aqui.

Várias regiões do Brasil, como por exemplo as Serras do Mar e da Mantiqueira foram formadas nessa fase. Assim como os primeiros continentes.

É subdividido em 4 Eras:

  • Eoarqueana (4 a 3,6 bilhões de anos atrás)
  • Paleoarqueana (3,6 a 3,2)
  • Mesoarqueana (3,2 a 2,8)
  • Neoarqueana (2,8 a 2,5)

Proterozoico – 2,5 bilhões a 542 milhões de anos atrás 

A palavra deriva do grego  próteros, primeiro, e zoikós, relativo à vida. Resumindo, as primeiras formas de vida minimamente complexas do planeta. 

É a maior fase entre todas da história de nosso planeta. Se toda a vida na Terra fosse concentrada em 24:00 horas, o Proterozoico representaria 10:44 desse dia. Quase metade.

Foi um Éon conhecido por suas glaciações, com enormes avanços e recuos da camada de gelo. Uma dessas fases geladas teve início há 720 milhões de anos atrás, com formação de gelo a 10° da Linha do Equador. Os motivos desses congelamentos ainda não são totalmente conhecidos, mas geraram um termo, “Terra Bola de Neve”.

Um dos aspectos mais conhecidos dessa fase é a formação da maior parte do ferro que consumimos hoje. Outra importante contribuição foi o aumento da fixação de oxigênio na atmosfera, tão importante para a vida, além da formação da camada de ozônio. Ao final desse Éon, esses fatos são tidos como os responsáveis pelo surgimento das primeiras formas de vida multicelulares, obviamente marinhas. Outro importante aspecto foram organismos primitivos começando a fazer fotossíntese. Visualmente falando, as únicas formas de vida eram algas verdes, vermelhas e alguns animais de corpos macios, algo próximo aos moluscos de hoje.

Mais próximo ao final desta fase, cerca de 900 milhões de anos atrás, todos continentes estavam unidos em uma enorme massa denominada Rodínia, um mega continente ainda anterior a Pangeia.

Rodínia formada pela união dos continentes atuais. Imagem: Internet.

.

É subdividido em 3 Eras:

  • Paleoproterozoico (2,5 a 1,6 bilhões de anos atrás )
  • Mesoproterozoico ( 1,6 a  1 bilhão de anos atrás)
  • Neoproterozoico ( 1 bilhão a 540 milhões atrás)

Como já observado, os 3 Éons mais antigos formam o Pré-Cambriano. Este nome é uma referência ao próximo Éon e sua primeira Era, denominada Paleozoico, que tem como seu primeiro Período o Cambriano. No próximo texto veremos por que ele é tão importante, nomeando tudo que veio antes.

Espero ter aumentado seu conhecimento. Curta nossa página no Facebook e compartilhe nosso texto! Abraço do Clebinho!

Publicado em 11.06.2018

2 comments to “204. Eras Geológicas (Pré-Cambriano)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *