41. Tragédia no Mediterrâneo

Nosso texto de hoje aborda um tema atual, bastante debatido e problemáticos para o planeta: as numerosas e trágicas migrações de africanos em direção a Europa.

Conceito de Migração

É o deslocamento de indivíduos dentro de um espaço geográfico, de forma temporária ou permanente. Esses fluxos migratórios podem ser desencadeados por vários motivos: econômicos, culturais, religiosos, políticos e naturais (secas, terremotos, enchentes, etc).

Migrante é aquele que se desloca. Emigrante é aquele que deixou seu local de origem. Imigrante é aquele que chegou a outro local.

Rumo à Europa

Explorados por décadas pelos colonizadores europeus, os africanos tiveram suas riquezas exploradas, foram humilhados, divididos e  tiveram milhões arrancados de suas casas para se tornarem escravos em outros locais. Hoje, buscam desesperadamente chegar até o velho continente.

http://s2.glbimg.com/0qyC230urogCgzSoutzONvnxcbU=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2013/11/25/mapa-bbc.jpg

Principais rotas de migrações entre África e Europa. Destaques para Itália, Malta, Grécia, França e Espanha, grandes receptores. Fonte: BBC

Os motivos de arriscarem a vida atravessando o perigoso Mediterrâneo são resultado das condições socioeconômicas precárias, a violência, o reaparecimento de doenças como a causada pelo vírus Ebola, a escassez de alimentos, as guerras étnicas e a falta de perspectiva de uma vida melhor. A distância pequena e a língua comum, herança deixada pelos colonizadores, também impulsionam este fenômeno.

A travessia é feita por máfias de  traficantes que chegam a cobrar US$ 10 mil, utilizando barcos velhos e superlotados sem a garantia de chegada a um porto seguro. Na maioria dos casos, o imigrante trabalha anos para juntar o dinheiro ou é subsidiado por parentes que vivem no Velho Continente.

Imigrantes enfrentando o Mar Mediterrâneo (de Janeiro a Abril ele é bem perigoso) Imagem: Internet.

Organizações não governamentais estimam que 17 milhões de africanos já saíram de seu país de origem, destes, aproximadamente 20 mil  morreram tentando chegar à Europa nas últimas duas décadas. Estima-se que, em 2014, 219 mil africanos cruzaram o mar tentando chegar a Europa.

Pela proximidade com o continente africano, Itália, Malta e Grécia são os maiores receptores de imigrantes, mesmo não sendo o destino final da maioria dos viajantes.

Líbia, Eritreia (5º pior IDH do mundo), Sudão, Gana, Nigéria e Síria (este do Oriente Médio) estão entre os países de origem dos imigrantes.

http://ansabrasil.com.br/webimages/al_news_476x/2015/3/20/1cff94ea47412906bcba7d3398b6f81a.jpg

Foto mostra como os precários barcos saem lotados da África. Imagem: internet.

Toda a Europa está sentindo a pressão migratória africana. A Organização das Nações Unidas (ONU) informou que, neste ano,  houve um aumento de 300% na quantidade de imigrantes que tentam chegar por mar a Europa, via ilha de Lampedusa (Itália).

Nos últimos meses, os italianos já salvaram 15 mil africanos e outros 300 mil esperam na Líbia para tentar fazer a perigosa travessia.

Desastres Recentes

Outubro de 2013: cerca de 360 pessoas morreram em naufrágio próximo à ilha de Lampedusa, Itália.

Setembro de 2014: pelo menos 300 imigrantes naufragaram em Malta, quando traficantes fizeram um “assassinato em massa” depois que as pessoas se recusaram a mudar para uma embarcação menor.

malta

Pela proximidade com a África, A ilha de Lampedusa (Itália) e Malta são grandes receptores de imigrantes ilegais. Imagem: internet.

Fevereiro de 2015: pelo menos 300 imigrantes teriam se afogado quando 4 botes entraram em apuros depois de deixarem a Costa da Líbia com condições climáticas ruins.

Abril de 2015: cerca de 400 imigrantes se afogaram quando o barco deles virou na costa da Líbia.

Abril de 2015: cerca de 700 imigrantes teriam se afogado após o barco ter virado próximo à Lampedusa.

Marinha espanhola abordando navio lotado de africanos próximo a costa. Imagem: Internet

Por terem uma baixa taxa de natalidade, os europeus sempre necessitaram de um certo número de imigrantes, para reporem a mão de obra. Nos últimos anos porém, com a crise econômica e o aumento do desemprego, esses imigrantes se tornaram indesejáveis. Alguns membros da extrema direita europeia acusam os imigrantes de roubarem empregos dos locais.

Destino dos Sobreviventes

Aos que chegam a Europa, só sofrimento, são tratados como selvagens, possíveis portadores de doenças e ficam, muitas das vezes, isolados da população local.

A burocracia para se tornar cidadão europeu é enorme. Não conseguem se inserir na sociedade, e nem podem voltar a seus países de origem, impregnados de problemas. Nessa armadilha, se tornam refugiados, vivendo em situação precária.

Imigrantes vivendo precariamente em Calais,França. Saiba mais no site G1.

.

Os sofridos imigrantes que conseguem se estabelecer no velho continente, geralmente de forma ilegal,  sofrem discriminação racial e xenofobia.

A Itália não sabe mais o que fazer, e pediu ajuda a União Europeia. Quer dividir o problema e os custos de resgate e patrulha do mar com todos os outros países do bloco. A Europa como um todo, por sua vez, não está disposta a receber imigrantes, menos ainda a ajudá-los a permanecerem em seus países de origem, com investimentos sociais que a África nunca recebeu, mas deveria, por tudo que dela foi espoliado.

Em 2014, num único dia, mais de 6 mil imigrantes de origem africana foram interceptados. (Reprodução: Internet)

Em 2014, num único dia, mais de 6 mil imigrantes de origem africana foram interceptados. (Reprodução: Internet)

É de tal forma escandalosa a postura europeia, que nenhum governo ou instância africana participa das reuniões que buscam soluções para os problemas, que são tratados como casos sanitários ou de polícia. Absolutamente nada vem sendo feito em busca de uma solução definitiva e o Mar Mediterrâneo vem se tornando um verdadeiro cemitério. Revoltante.

Nosso texto de domingo abordará outro tema relacionado a migrações. Não percam!

Espero ter aumentado o conhecimento de todos os leitores. Curtam nossa página no Facebook e compartilhem nosso texto! Abraço do Clebinho!

Publicado em 10.06.2015

 

 

2 comments to “41. Tragédia no Mediterrâneo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *