266. A Língua Europeia Só Falada no Brasil

VISITE : Professor Clebinho - Youtube

Fala meu povo!

O tema de hoje é muito interessante, uma língua europeia basicamente falada no Brasil. O dialeto pomerano se parece com o holandês e alemão, apesar de ser diferente. Pertence a um grupo de idiomas falados na região do Mar Báltico, local gelado que veio mudando de país ao longo dos anos.

No final do século XIX, a Alemanha era um país recém-criado (1871), muitos dialetos eram falados. A junção de vários reinos trouxe uma série de problemas, entre eles disputas e perseguições. Outro problema foi a industrialização, que causou grande perda de empregos no campo e consequente êxodo rural.

Graças a tantas questões, vários alemães deixaram o país em busca de uma vida melhor em outros cantos do mundo. O Brasil, país enorme e pouco povoado na época, foi um dos principais destinos.

Esse mapa nos mostra 3 informações diferentes. Em vermelho a Pomerânia, inserida na Prússia que está de bege claro. De bege mais escuro a Alemanha, criada na segunda metade do século XIX. Imagem: Internet.

 

Muitos imigrantes chegaram por aqui vindos da Europa em geral. No Espírito Santo, os pomeranos representavam 2/3 dos alemães que desembarcaram. Também vieram para o Sul do Brasil, em especial SC e RS. Obviamente, trazendo junto a língua original.

Na Alemanha do século XX os dialetos e línguas paralelas foram sendo marginalizados. Aos poucos, o alemão padrão foi se tornando o idioma de todos. Quem veio para o Brasil ficou livre dessa padronização, continuando a falar suas línguas originais, que foram sendo esquecidas no Velho Continente.

Quantidade de alemães chegando ao Brasil ao longo do final do século XIX e início do XX. Imagens: Internet.

.

Com o fim da 2° Guerra os problemas aumentaram, a Pomerânia foi dividida entre a Polônia e a Alemanha Oriental, tudo controlado pela URSS. O modelo ditatorial e comunista foi o golpe final na língua local, que se manteve viva praticamente só no Brasil.

Atualmente a Pomerânia está dividida entre Alemanha e Polônia. E o pior, durante a Guera Fria esteve sob o domínio da Alemanha Oriental, economia planificada e governo ditatorial. Imagem: Internet.

 

O que motivou a resistência do pomerano por aqui é fácil de se entender.  Os imigrantes que chegaram, em sua maioria, foram morar em locais inóspitos, afastados da população brasileira em geral.  Isso é óbvio, levando em consideração que eram pobres e foram viver onde ninguém mais queria. Outro motivo era a preferência por locais com relevos elevados e acidentados, com climas parecidos a região natal. Dessa forma, não tinham a pressão de falar alemão clássico, nem o português, mantendo o pomerano como língua diária.

Pomerode promove anualmente a Festa Pomerana, um atrativo do Vale Europeu Catarinense. Imagem: Internet.

 

Nos municípios de Pomerode-SC (observem o nome) e Santa Maria de Jetibá-ES, descendentes de alemães continuam falando pomerano até hoje. Existem festas típicas exaltando a magnífica origem desse povo.

Siga o Professor Clebinho nas redes sociais, clique nos links: Facebook       Instagram      Linkedin      Youtube

Publicado em 21.07.2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *