66. O Fenômeno Chinês e as Cidades Fantasmas

Economistas afirmam que todo crescimento econômico de um país é cíclico. A China parece querer quebrar este paradigma, crescendo a taxas inacreditavelmente altas há mais de 30 anos. Porém, uma ponta de desaceleração está vindo à tona neste momento e será nosso tema nos próximos dois textos.

China_map

Localização da China e suas principais cidades. Imagem retirada da internet.

.

Se quiser mais informações sobre a China como idiomas, religiões, etnias, hino, renda per capita, endereço da embaixada no Brasil, entre outros tópicos, acesse o site Sua Pesquisa.

O Dragão cresce

De um país rural com um PIB¹ modesto, a China se transformou na 2º maior economia do mundo. Tudo isso aconteceu nos últimos 30 anos. Se continuar com esse mesmo apetite econômico, deverá ultrapassar os EUA nos próximos anos, se tornando a maior economia do mundo.

Maiores PIBs do mundo em 2014. China em 2° lugar, Brasil em 7º. Imagem retirada da Internet

.

Não existem segredos, os motivos deste crescimento são conhecidos,  mão de obra qualificada e abundante, capacidade de aprendizado tecnológico e investimentos em infraestrutura. Dos 10 maiores portos do mundo hoje, 7 estão na China (contando Hong Kong). Veja todos no site Top 10+.

Outro grande fator foi a criação de Zonas Econômicas Especiais, onde os impostos são baixíssimos e a chegada de empresas internacionais muito bem-vinda. O processo de inserção econômica da China no mercado global foi baseado em parcerias. O Estado chinês criou uma série de estatais que se associaram a multinacionais para a produção de todo tipo de produtos, de souvenir ao Iphone.

Não se pode negar também que o fato do país ser uma ditadura ajudou. Qualquer manifestação por melhores salários ou alguma demanda neste sentido é duramente reprimida pelo governo.

A soma desses fatores fez do país o paraíso para qualquer empresa com interesses mundiais.

Últimos anos do crescimento chinês, um fenômeno. Imagem: Blog cidadania & cultura.

Construção Civil

Outro importante mecanismo de crescimento, tema central de nosso texto, é o investimento maciço na construção civil. O setor é, ao lado do automobilístico, os mais importantes de uma economia, abrangendo uma cadeia enorme de produção, gerando milhares de empregos.

A construção civil fabrica casas, pontes, prédios, aeroportos, estádios, shopping centers,  portos, faculdades, escolas e uma infinidade de obras que melhoram a infraestrutura e impulsionam a economia. Com a geração de empregos, obviamente ocorre um incremento no poder aquisitivo da população, que irá consumir mais, criando assim um ciclo virtuoso. As olimpíadas de Pequim 2008 foram as mais caras de todos os tempos, porém, na perspectiva chinesa, foram só mais algumas obras para impulsionar a economia.

Belíssima Xangai, é um exemplo do maciço investimento na construção civil que vem ocorrendo na China nas últimas décadas. Imagem retirada da internet.

.

Em 2010, a construção civil representou 13% do PIB e absorveu mais de 25% dos investimentos totais do País.

Como exemplo da capacidade chinesa, em 2012 bateram um recorde, construindo 30 andares de um prédio em apenas 15 dias. Veja mais em uma reportagem da Veja.

O governo chines não para e enunciou a construção de uma megalópole. Seria a junção de 3 grandes cidades, Pequin, Tiajin e a província de Hebei. Os números são colossais: 215 mil quilômetros quadrados de área, 130 milhões de habitantes, US$ 6,4 trilhões (R$ 20,5 trilhões) gastos. Saiba mais em uma reportagem do site Terra.

Êxodo Rural

Com mais de 1,3 bilhão de habitantes, a China vive um intenso e gigantesco êxodo rural². No fim de 2011, a população urbana ultrapassou a rural, chegando a  690,79 milhões de pessoas nas cidades, isso representa 3,5 vezes a população do Brasil. Saiba mais em uma reportagem sobre o assunto no site G1.

chongqing

A cidade de Chongqing, é um exemplo do rápido crescimento urbano chinês. Está localizada no interior do país e é comparada a Manhattan, em Nova Iorque. Imagem retirada da internet.

 .

Constrói primeiro, depois enche

A estratégia chinesa é audaciosa, sabendo da necessidade de novos empreendimentos imobiliários e para impulsionar a construção civil, constroem primeiro a cidade, completa, para que depois venha a ser  povoada. A questão é que, após algumas décadas, sinais de esgotamento deste modelo estão surgindo. Um dos melhores exemplos é o distrito de Kangbashi, na cidade de Ordos .

http://images.chinahighlights.com/allpicture/2015/04/fb5e48d6a8c34ca7a9bdf371.jpg

Localização de Ordos, no norte da China. Imagem retirada da Internet.

.

A Cidade Fantasma

Ordos é uma cidade localizada na região conhecida como Mongólia Interior. Antigamente, era um local pobre, mas devido às suas grandes reservas de carvão e gás natural o governo decidiu investir na região e construir um novíssimo distrito por lá.

O governo chinês acreditava que existiria grande demanda para se morar no local. A ideia era que muita gente se mudaria da antiga Ordos para o novo distrito. Como o governo do país asiático não mede esforços no que tange a construção, desenvolveram uma infra estrutura completa para um milhão de habitantes. O detalhe, que inclusive motivou este post, é que, atualmente,  somente 50 mil habitam o local. Do total de imóveis, uma pequena parte está ocupada, cerca de  2% .

Ordos, cidade fantasma com 2% dos imóveis ocupados. Imagem retirada da internet.

.

É totalmente surreal viver em um local amplamente equipado e praticamente vazio.  Como o mega empreendimento ainda não deu certo, os preços  dos imóveis caíram de 3.666 dólares para 1.566 dólares o metro quadrado, apenas nos últimos cinco anos.

28

Biblioteca da cidade (esquerda) e Museu de Orbos (direita) . A cidade é completa e moderna, só falta gente. Imagem retirada da internet.

.

Pela falta de compradores, muito empreendimentos estão abandonados. O governo chinês diz ter esperança que até 2030 a cidade esteja completamente povoado. O não povoamento da cidade pode estar relacionado a um excesso de imóveis no país, o que é um problema. Acredita-se que existam mais de 500 cidades fantasmas nesta mesma situação.

http://resources2.news.com.au/images/2014/01/30/1226814/263334-e4c0ed3c-8985-11e3-9956-927a0b0ae164.jpg

Umas das principais avenidas da cidade. Vazia. Imagem retirada da Internet.

.

A pergunta que fica é até que ponto todo esse crescimento chinês das últimas décadas se deu de forma natural, através de uma demanda real. Será que os investidores, empresas e o próprio governo conseguirão recuperar o que foi investido? O governo não se mostra preocupado e já anunciou a construção de mais 100 mil imóveis novos. A construção civil é um dos motores do crescimento do país e não pode parar.

8

Novíssimo estádio construído em Orbos. Imagem retirada da Internet.

.

Próximo texto

Nosso próximo tema continua a ser o país asiático. Veremos um local que é a cópia de Paris, porém na China.  Até “Torre Eiffel” possui, porém está praticamente vazio. Veremos também as possibilidades de uma bolha imobiliária chinesa e como uma crise no Dragão pode afetar o Brasil e o mundo. Imperdível!

Espero ter aumentado o conhecimento de todos os leitores. Curtam nossa página no Facebook e compartilhem nosso texto! Abraço do Clebinho!

1 – PIB: Produto interno bruto (PIB) representa a soma (em valores monetários) de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região (quer sejam países, estados ou cidades), durante um período determinado.

2 – Êxodo Rural: Saída das pessoas das áreas rurais para as áreas urbanas. Provoca o processo de urbanização de um povo.

Publicado em 06.09.2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *