100. A Caxemira e a Guerra Nuclear

Chegamos ao texto número 100. Muito obrigado a todos!

Em nossos dois últimos textos abordamos a fantástica biografia de Mahatma Gandhi. Tivemos o privilégio de observar como um homem, defendendo a não violência, conseguiu a independência de um dos mais importantes países do mundo, a Índia. Mas o sonho de Gandhi não se concretizou por completo.

Como já mostramos antes, a Índia neste período era muito maior que hoje, com muçulmanos e hindus, nem sempre se entendendo. Gandhi lutava pela união de todos em um único país, mas os radicais não permitiram. A Índia então se fragmentou em dois grandes pedaços, um de maioria Hindu (Índia) e outro de maioria muçulmana, dividido em duas porções (Paquistão Ocidental e Oriental). Além dos dois mais importantes grupos terem se separado, uma pequena ilha ao sul da Índia, chamada Ceilão e de maioria budista, se transformou em um país, o Sri-Lanka.

West_East

A Independência da Índia gerou dois importantes países (além do Sri Lanka). Imagem: Internet

.

Como podemos ver no mapa acima, os hindus formaram a Índia, enquanto os muçulmanos se fragmentaram, uma parte no oeste (west) outra no leste (east).

Caxemira

Hindus e muçulmanos nunca se entenderam no território indiano. São costumes e visões de mundo diferentes, e uma parte de seus adeptos partiram para a agressões que  culminaram com o assassinato de Gandhi.

Em meio a independência, milhares de cidadãos  foram mortos nas duas religiões, e massas de pessoas migraram para  locais onde a maioria professava a sua religião.

O problema maior foi a região montanhosa da Caxemira. O local está localizado exatamente na divisa norte entre a Índia e o Paquistão Ocidental e é disputado até os dias de hoje pelos dois países.

paquistao-mapa-localizacao

Região da Caxemira, entre Índia e Paquistão. Imagem: internet

.

O marajá hindu da Caxemira, Hari Singh,  tinha a prerrogativa de escolher para qual país iria seu território. O problema estourou quando Singh escolheu permanecer na Índia, o que revoltou 80% da população local, de religião muçulmana.

caxemira-t660

Paisagem da belíssima e conflituosa região da Caxemira. Saiba mais sobre o local no site Alma de Viajante

1948-1949

A disputa gerou uma guerra entre os dois países em 1948, até que a ONU interveio e conseguiu um cessar fogo. Ao fim do conflito, três quintos da região ficaram com a Índia e o restante com o Paquistão (País dos puros). Esse conflito ficou conhecido como a 1º Guerra da Caxemira.

1965

Entre abril e setembro de 1965, o Paquistão infiltrou guerrilheiros na Caxemira indiana com o objetivo de iniciar uma insurreição contra o governo. A Índia descobriu, fechou suas fronteiras e mais tarde invadiu a porção paquistanesa da região. A guerra durou 5 semanas, fazendo mais de 3 mil vítimas entre os indianos e 4 mil entre os paquistaneses.

Mais uma vez o Conselho de segurança da ONU interveio e um cessar fogo foi assinado pelos dois lados, que retornaram a suas fronteiras anteriores ao conflito.  Essa guerra ficou conhecida como a 2º Guerra da Caxemira.

1971

Como fartamente dito em nosso blog, o Paquistão ficou dividido em dois pedaços. Em 1971, a porção oriental (leste) se rebelou contra o governo que se localizava no lado ocidental. A situação era interessante, o lado oriental se sentia totalmente esquecido pelo lado ocidental, centro do poder.

A Índia aproveitou a situação e se aliou ao lado oriental, dando suporte a sua luta pela independência. No melhor estilo, o inimigo do meu inimigo é meu amigo, enfraquecer o Paquistão era o objetivo.

Uma nova guerra estourou na região, conhecida como Guerra de Bengala (nome do local). Com a derrota Paquistanesa, o lado oriental se tornou independente e se transformou no país Bangladesh.

m1819enz

Como está a região atualmente, com Paquistão, Índia e Bangladesh, entre outros. Imagem: Internet

China

Em meio a todas essas guerras, a China comunista se aproveitou da situação e também ocupou uma pequena parte da Caxemira. Existem também grupos que defendem a Caxemira livre, como um país. É muita confusão para um território relativamente pequeno, mas a disputa já se tornou questão de honra para cada um dos lados.

B9188

Atual situação da Caxemira, disputada por 3 países. Imagem: Internet.

Guerra Nuclear

Com certeza, o maior de todos os problemas da região é que, desde 1974, com a ajuda da URSS (guerra fria), a Índia possui tecnologia nuclear.

Em 1998, com os dois países já aliados dos EUA, a Índia realizou 5 explosões nucleares como teste. Por sua vez, o Paquistão fez 6 testes e também entrou no hall dos países com essa terrível tecnologia. Veja uma interessante matéria sobre os armamentos nucleares no site Terra.

11_03_15-metro22

Maiores arsenais nucleares do mundo. Os dois maiores personagens do texto estão na lista. Imagem: Internet

.

Atualmente, qualquer novo problema na região pode ter um final trágico, com milhões de mortes. Paquistão e Índia continuam arqui-inimigos e constantemente um novo fato embaraça a relação entre os dois vizinhos. Calcula-se que tanto Índia como Paquistão possuam mais de 100 ogivas nucleares cada um, e não param de aumentar seus arsenais.

_39936447_pakistan_missile_map416

Em azul o alcance dos mísseis nucleares paquistaneses, em vermelho dos indianos. Um país pode aniquilar o outro. Imagem: Internet

.

Atentados terroristas

Em 2008, um exemplo da frágil paz entre os dois países, cerca de 25 atiradores de origem paquistanesa, abriram fogo contra a população indiana e estrangeiros em Bombaim, Índia. Pelo menos 195 pessoas morreram, entre elas, 22 estrangeiros. Veja o texto completo sobre o  atentado no site Wikipédia.

A Índia acusou o governo do Paquistão de pouco fazer para combater seus terroristas. Ações como esta colocam a região a um passo de um novo conflito.

Espero ter aumentado seu conhecimento.  Curta nossa página no Facebook e compartilhe nosso texto! Abraço do Clebinho!

Publicado em 20.01.2016

 

 

One comment to “100. A Caxemira e a Guerra Nuclear”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *