112. 2º Guerra – O Dia D (EUA) e Stalingrado (URSS)

Como observado nos textos anteriores, a Europa ardia em guerra. Os primeiros anos do conflito foram amplamente favoráveis a Alemanha, mas em dezembro de 1941 o frio soviético paralisou o avanço nazista.

soldiers

Soldados Nazi congelando na URSS. Imagem: Internet.

.

Stalingrado

Não conseguindo chegar a Moscou, Hitler ordenou que suas tropas conquistassem Stalingrado, cidade mais ao sul e que levava o nome do ditador soviético. Também era um importante centro industrial.

As hostilidades começaram em julho de 1942 e se estenderam até fevereiro de 1943. Em um determinado momento, os nazistas chegaram a ocupar 90% da cidade, mas Stalin ordenou que ela fosse defendida com força total.

54d0c34872139e46078b45b5

Combates pela destruída Stalingrado. Imagem: Internet.

.

Em 2 de fevereiro de 1943, em pleno inverno soviético, as tropas de Hitler sucumbiram à fome, ao frio e a falta de equipamentos. A batalha chegou ao fim, quando o general Paulus rendeu o 6º Exército Alemão.

Mais de um milhão e cem mil soviéticos morreram, frente a 750 mil nazistas, que mesmo perdendo menos homens, não tinham mais como sustentar o front oriental.  Foi a maior batalha de toda a 2º Guerra Mundial.

Os quase dois milhões de mortes impressionam. É como se toda a população de Manaus (2.020.301) fosse riscada do mapa.

batalha-stalingrado

A luta pela cidade foi casa a casa. Na foto, o avanço alemão. Imagem: Internet.

.

Essa vitória foi fundamental e a partir dela os soviéticos empurraram os alemães de volta, até serem o primeiro exército aliado a entrar em Berlim.

Veja uma interessante reportagem sobre Stalingrado no site da embaixada Russa no Brasil, confiram.

O filme “Círculo de Fogo”, lançado em 2001, foi  inspirado em uma história real ocorrida em Stalingrado. Particularmente, é um dos melhores que já assisti sobre a 2º Guerra:

21000295_20130419230131033

Capa do filme Círculo de fogo. Imagem: Internet.

.

Para quem quer aumentar seu conhecimento sobre o assunto é imperdível!

O dia D

Stalin1943

Os avanços das forças de Stalin foram o real motivo do Dia D. Imagem: Internet.

Em 1944, mais problemas para Hitler. A preocupação dos EUA era grande, já que o avanço soviético em direção a Alemanha era notável. Empenhados na guerra contra o Japão no Pacífico, os norte americanos praticamente não haviam colocado os pés na Europa. O perigo iminente era uma vitória colossal da URSS, fazendo emergir do conflito uma Europa dominada pelos comunistas.

Aspirando também participar da vitória, os EUA precisavam entrar Europa com força total. O primeiro passo seria o mais árduo, desembarcar suas tropas no continente. Para isso, seria necessária uma das maiores operações militares de toda história.

A libertação da França ficou conhecida pelo codinome Operação Overlord, enquanto o desembarque na Normandia, o ponto inicial, era a Operação Netuno. O momento escolhido ficou vulgarmente conhecido como o Dia D.

Um espetacular embuste foi montado. Britânicos e norte-americanos fizeram Hitler achar que a invasão seria em Calais, ponto francês mais próximo da Inglaterra. Até mesmo tanques de borracha foram estacionados na Inglaterra com a intenção de enganar os aviões espiões alemães.

wmX-600x411x4-519fd357c255a94c101cda908b649018bdae173fdbe6a

Tanques de borracha, utilizados para enganar os nazistas. Imagem: Internet.

.

A farsa deu certo e os nazistas deslocaram grande parte de suas defesas para a região. Com a proteção relativamente fragilizada, o local escolhido foi a região da Normandia, mais ao sul. As 5 praias que receberam as tropas ganharam os famosos codinomes de Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword.

d day map

Os Norte americanos e britânicos posicionaram centenas de tanques de borracha em Dover. Hitler imaginou que o ataque seria em Calais, mais foi mais ao sul. Imagem: Internet.

.

Os soldados das tropas aliadas que participaram da invasão vieram de inúmeros países, entre eles: Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, França (parte não ocupada), Polônia, Holanda, Noruega, Bélgica, Grécia, Checoslováquia, Austrália e Nova Zelândia.

Mesmo pegando os nazistas relativamente desprevenidos, o desembarque foi uma batalha feroz, já que todo o litoral francês era protegido pela linha de defesa conhecida como a “Muralha do Atlântico”. Entre todas as praias, o desembarque em Omaha, a cargo dos norte americanos, foi o mais complicado.

Operation_Overlord

Imagem ampliada das praias Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword, locais do desembarque. Imagem: Internet.

.

Além dos fortes ventos e ondas, os soldados se depararam com arames farpados, canhões de 155 milímetros, obstáculos conhecidos como  “porcos-espinhos” e  metralhadoras MG 42.

800px-NormandySupply_edit

Vista geral do Dia D. Imagem: Internet.

.

Na noite anterior, 24 mil paraquedistas foram lançados atrás das defesas alemãs, para confundi-los. O desembarque ocorreu ao amanhecer. A necessidade de conquistar uma cabeça de praia, termo utilizado para se referir ao domínio de um local no continente, foram usados cerca de 160 mil soldados. Tiveram o apoio de 195.700 pessoas das marinhas envolvidas, 6.900 navios e 5.500 aviões.

As baixas entre EUA, Grã-Bretanha e Canadá foram de  4.413 soldados, enquanto os nazistas perderam mil.

d-day-color-images-1-300x202

Raríssima foto colorida do desembarque, na visão dos soldados. Imagem: internet.

.

A operação Overlord continuou até libertar Paris, fazendo um total de 415 mil vítimas. O site da revista Mundo Estranho fez uma reportagem sobre o assunto, confiram!

Enquanto os soviéticos vinham do leste, os norte-americanos vinham pelo oeste. EUA —> <— URSS. O fim estava próximo.

Próximo texto

Em nosso próximo post, veremos a rendição nazista e os destinos de Hitler e Mussolini, além do capítulo final, um dos mais terríveis, ocorrido no Japão. Imperdível!

Espero ter aumentado seu conhecimento.  Curta nossa página no Facebook e compartilhe nosso texto! Abraço do Clebinho!

Publicado em 13.04.2016

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *