48. Sustentabilidade: Quanto Lixo!

Com certeza, um  assunto atual, polêmico e importante é a questão do lixo. O problema só está se agravando e não existe, a curto prazo, uma solução.

A grosso modo, lixo corresponde a todos os resíduos gerados pelas atividades humanas que são considerados sem utilidade e que entraram em desuso.

Tendo como parâmetro a vida urbana, até mesmo a natureza presente nas cidades pode produzir lixo, como por exemplo folhas secas e animais mortos. No ambiente natural, obviamente esses exemplos funcionam como renovação e reconstrução do mesmo.

http://www.ufrgs.br/vies/wp-content/uploads/2012/05/lixo-480x266.gif

Estamos produzindo uma quantidade gigantesca de lixo. Algo tem que ser feito urgentemente. Imagem: Internet.

Classificações do Lixo

O lixo  urbano pode ser classificado como orgânico (restos de alimentos, papéis, madeira, entre outros) e inorgânicos (plásticos, metais, vidros, entre outros). Existem também o lixo tóxico (pilhas, baterias, entre outros), o perigoso resíduo hospitalar e o pior, o lixo radioativo, tema abordado em nosso blog no texto Goiânia, Uma Cidade Radioativa.

20150526170512pilhas01

Lixo tóxico, resíduo descartável que contem compostos químicos que afetam o meio ambiente. Devem ser recolhidos separadamente. Imagem: Ideal Ambiental

Lixo -O Problema

O lixo traz vários problemas para as sociedades urbanas, entre eles o mau cheiro, contaminação dos solos e rios, poluição visual,  proliferação de animais nocivos  e vetores de doenças, além de entupimento de  bueiros, provocando enchentes. Nos últimos anos, a quantidade produzida está tão alta, que faltam lugares para o seu armazenamento correto.

Rio de Janeiro pós Réveillon. A falta de educação da população contribui demais para a sujeira. Imagem: Pasquim Online

Produtores de Lixo

Existe uma relação direta entre o desenvolvimento industrial de um país e a sua produção de lixo. Obviamente, quanto mais indústrias, mais plásticos, vidros, metais, enfim, mais lixo em geral. O que chamamos de mundo moderno, incentiva o consumo desenfreado e  está entupindo nosso planeta de dejetos.

Quanto mais escuro o vermelho, maior a produção de lixo. Fonte: Banco Mundial

.

O pior ainda está por vir, segundo estimativas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o lixo mundial deve ter um aumento de 1,3 bilhão de toneladas para 2,2 bilhões de toneladas até o ano de 2025.

Enquanto um cidadão dos  EUA produz, em média,  mais de 2,5 Kg de lixo por dia, um Brasileiro, em média, produz cerca de 1 Kg. Se contabilizarmos que os brasileiros estão vivendo em média 74 anos, cada um produzirá cerca de 26,6 toneladas de lixo ao longo de sua vida.

Quantidade de lixo recolhida no Brasil por dia em 2009. 15 mil caminhões. Fonte: 2020 Sustentável

Armazenando Lixo

Se o lixo for nuclear, no caso do Brasil, é guardado em locais provisórios próximos as Usinas Nucleares. Com a construção de Angra 3, será criado um depósito geológico para o armazenamento do lixo radioativo por até cem anos. Esse depósito guardará não só o lixo das usinas mas também rejeitos nucleares de hospitais e indústrias do país. Veja mais no site Mundo Estranho.

lixo_20110330

Local de armazenagem do nosso lixo nuclear até que um local definitivo seja construído. Imagem: Portal R7 

.

No caso do lixo urbano, existem basicamente de 3 formas de armazenamento:

Lixão: É a pior maneira de se guardar lixo. Neles, o resíduo chega e é simplesmente despejado em uma área sem nenhum tratamento prévio de seu solo. Com isso, o chorume¹ infiltra no solo e poluí as águas subterrâneas. Além disso gera mau cheiro  e atrai toda espécie de vetores de doenças como ratos, aves e baratas. Seres humanos, em pobreza absoluta, também são levados a procurar produtos que possam gerar qualquer mínimo lucro.

http://mit.zenfs.com/1071/2012/04/lixao-jardim-gramacho_habitat.jpg

Lixão de Gramacho, o maior da América Latina, fechado em 2012. 1.200 pessoas catavam lixo diariamente no local. Imagem: Internet

.

Para ilustrar ainda mais o que é um lixão, assista o incrível documentário Lixo Extraordinário, que retrata um trabalho do artista plástico Vik Muniz e seu envolvimento com catadores do lixão de Jardim Gramacho  – RJ.

Aterro Controlado: É um Lixão melhorado, onde o lixo é coberto por uma camada de terra. Este sistema minimiza o mau cheiro e o impacto visual, além de evitar a proliferação de insetos e animais. Porém, não há impermeabilização do solo, e a contaminação da água subterrânea ainda persiste.

Aterro Sanitário: É a forma mais correta de se armazenar o lixo urbano. Na verdade, é uma grande obra de engenharia onde o solo é previamente impermeabilizado com argila e mantas de PVC. Com esse processo, o lençol freático e o solo não são contaminados pelo chorume.

Construção de um aterro. Impermeabilização do solo sendo feita. Imagem: Site Página Verde

Ao chegar, o lixo é prensado e coberto por terra. Nos aterros o chorume é captado e tratado. Outro ponto positivo é o sistema de captação e armazenamento ou queima do gás metano, resultante da decomposição da matéria orgânica.

Quando o aterro estiver esgotado, pode ser reflorestado e transformado em um local público, sem perigo de contaminação.

Clique para ampliar. Evolução de um aterro sanitário. Imagem: Internet.

.

Algumas cidades estão adicionando o gás do lixo ao gás natural já distribuído a população, aumentando a oferta de energia, como pode ser observado em reportagem do Jornal O Dia.

Déficit Operacional

Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) o Brasil ainda deixa muito a desejar quando o assunto é a gestão de resíduos sólidos.

Em 2014, de de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)², todos os municípios brasileiros deveriam estar com seus lixões desativados e substituídos por aterros sanitários, porém , somente 60% dos municípios cumpriram a lei. No melhor estilo, no Brasil tem lei que pega, e lei que não pega.

Nosso próximo texto dará continuidade ao importante tema.

Espero ter aumentado o conhecimento de todos os leitores. Curtam nossa página no Facebook e compartilhem nosso texto! Abraço do Clebinho!

Publicado em 05.07.2015

1 – Chorume – substância líquida resultante do processo de putrefação (apodrecimento) de matérias orgânicas. É viscoso e possui um cheiro muito forte e desagradável.

2 – (PNRS) –  Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.

2 comments to “48. Sustentabilidade: Quanto Lixo!”
  1. Excelente texto Prof. Clebinho. Sempre explanando de forma objetiva e clara do jeito que o estudante . Bacana demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *